Investir em criptomoedas – Tudo o que precisa saber para se tornar num crypto trader em Portugal

Investir em criptomoedas

Written by:
Omer Aragón Godínez

As criptomoedas são moedas digitais criadas com o propósito de serem transferidas entre pessoas em transações virtuais. Estas moedas apenas existem em forma de dados e não como objetos físicos como acontece com as moedas tradicionais.

Apesar de não serem objetos físicos, não deixam de suscitar grande interesse por parte de pequenos e grandes investidores que procuram cada vez mais formas de investir em criptomoedas.

Quer queira saber mais sobre este tópico ou esteja interessado em investir em moedas criptográficas, este artigo irá ajudá-lo a entrar no mercado de negociação de moedas criptográficas e a conhecer os principais conceitos sobre o assunto.


Menu de navegação:

  1. Como funcionam as criptomoedas?
  2. Quais são as principais criptomoedas?
  3. O que é uma blockchain?
  4. O que são as criptomoedas?
  5. Como ter uma carteira de criptomoedas
  6. Fatores que influenciam o preço das criptomoedas
  7. Como posso comprar criptomoedas?
  8. Como funciona a variação de preço
  9. Investir em criptomoedas – ao que deve estar atento
  10. Vantagens e desvantagens de investir em criptomoedas
  11. Conclusão
  12. FAQ

Como funcionam as criptomoedas

Não podemos falar de criptomoedas ou em investir em criptomoedas sem antes falar no conceito mineradores de criptomoedas.

As criptomoedas são mineradas como o ouro, o que significa que estas moedas passam por um processo de verificação de transação de criptomoeda onde pessoas em todo o mundo transferem moedas eletrónicas de carteira em carteira enquanto os chamados mineradores utilizam o poder de processamento dos seus computadores para conseguir manter uma blockchain ao mesmo tempo que verificam essas transações.

Sempre que uma nova criptomoeda é lançada, são definidas as quantidades de moedas que serão mineradas. Quando a cota é alcançada não são produzidas mais moedas.

Como todo o processo de mineração tem um elevado custo energético, criou-se a necessidade de desenvolver novas moedas digitais que não necessitassem passar por este processo.

A criptmoeda mais popular, o Bitcoin é obtido por mineração, mas atualmente já existem diferentes criptomoedas como o Ethereum, Ripple, Litecoin, entre outras, em que isso já não acontece.

De modo geral, o que importa reter é que as criptomoedas são um conjunto de códigos de programação, que são compilados de uma forma muito específica e registados num banco de dados global não centralizado.

São moedas virtuais com valor monetário, mas que não contêm cédula, governo ou economia para as regularizar e têm vindo a ganhar um enorme potencial económico por parte dos grandes e pequenos investidores.

Quais são as principais criptomoedas?

Estas são as principais criptomoedas que existem atualmente:

1. Bitcoin

Bitcoin, ou BTC é a criptomoeda mais popular, sendo que se trata do primeiro sistema de pagamentos global descentralizado.

Desenvolvido em 2008 com o objetivo de substituir o dinheiro em papel e eliminar a necessidade de existirem bancos para intermediar as operações financeiras.

2. Bitcoin cash

Bitcoin Cash, ou BCH é uma nova versão do Bitcoin original, criada mais recentemente em 2017 com o objetivo de melhorar os primeiros Bitcoins que possuíam taxas elevadas e um grande tempo de processamento.

O Bitcoin cash permite um limite de tamanho bastante superior aos Bitcoins, 8MB contra 1MB do Bitcoin original, o que permite que as transações aconteçam de forma mais rápida e a taxas menores.

3. Ethereum

Ethereum, ou ETH é na verdade uma segunda rede da originalmente criptmoeda Ether.

A criptomoeda Ether sofreu um ataque de um hacker que conseguiu encontrar uma falha no sistema e roubar 50 milhões de dólares e a comunidade que mantinha esta criptomoeda decidiu criar uma nova rede mais segura.

Originalmente o Ether não fora criado com o objetivo de ser uma nova moeda digital, mas sim um ativo que recompensasse os programadores pelo uso da plataforma Ethereum nos seus projetos.

Esta criptomoeda funciona igualmente com o blockchain como base de validação das transações de Ethereum, com a criação de novas moedas baseadas no processo de minerização. Atualmente esta criptomoeda é uma das mais negociadas em todo o mundo.

4. Ripple

Ripple, ou XRP é um protocolo de pagamento criado em 2011 e que tem como característica suportar na sua rede outros tokens conseguindo assim representar moedas tradicionais e outros bens.

O funcionamento do Ripple assemelha-se em alguns pontos aos bancos já que aceita diferentes ativos e facilita a realização das transações, indo no sentido contrário à tendência geral das restantes criptomoedas. Para além disso, esta criptomoeda não tem minerização como acontece no Bitcoin, ou Ethereum

5. Litecoin

Litecoin, ou LTC é uma criptomoeda criada em 2011 por um antigo funcionário da Google.

Esta criptomoeda é muito semelhante ao Bitcoin com a diferença no processo de minerização que tem como objetivo a redução do tempo necessário à confirmação das transações realizadas com a moeda virtual.

Uma vez que o tempo de processamento é menor, a Litecoin é considerada uma melhor alternativa para a realização das operações no dia-a-dia e o Bitcoin funcionaria melhor como reserva de valor.

6. Tether

O Tether, ou USDT, é uma das mais famosas criptomoedas por ser uma stablecoin, isso significa que para cada 1 USDT criado, a empresa gestora da Tether é obrigada a possuir US$ 1 em sua conta bancária dedicada, garantindo, assim, que existam os recursos necessários para os investidores da criptomoeda.

A moeda tem como principal objetivo ser uma ligação entre o setor financeiro tradicional e o mercado de criptomoedas. Ela é muito utilizada para facilitar a transações entre grandes empresas, além de tornar mais simples a compra do dólar por varejistas.

7. Binance Coin

O Binance Coin, ou BNB, é uma moeda negociada e executada no blockchain Ethereum. O BNB também alimenta todas as operações na plataforma Binance. Ele tem um limite restrito de no máximo 200 milhões de tokens BNB. Além disso, como qualquer outra criptomoeda, a BNB pode ser negociada em outras corretoras de criptomoedas, conforme sua disponbilidade

O Binance Coin tem aumentado o seu valor, especialmente graças à relação da criptomoeda com o crescimento da corretora de mesmo nome. Com isso, hoje o Binance

8. Cardano

A Cardano (ADA) é uma plataforma criada em 2015 por Charles Hoskinson, co-fundador do Ethereum, e possui um projeto bastante ambicioso. Sua intenção é unir as melhores características e funcionalidades de todas as mais de 2 mil criptomoedas existentes no mundo, resolvendo problemas e oferecendo novas soluções para as moedas digitais.

Um dos principais objetivos da Cardano é, usando um blockchain, ser uma moeda digital, assim como o Bitcoin. A ideia é servir como um meio de pagamento alternativo em países que dificuldade de acesso a bancos. Para isso, um de seus focos é melhorar a velocidade com que as transações são feitas.

9. Dogecoin

O Dogecoin, ou DOGE, é uma criptomoeda que surgiu como uma brincadeira, como um meme, ganhando a atenção de investidores. Em 2021, a moeda digital ganhou o noticiário após disparar de preço e alcançar uma valorização de 14.000%, impressionante até mesmo para o mercado de criptoativos, conhecido por sua alta volatilidade.

A Dogecoin funciona de forma semelhante a outras criptomoedas já conhecidas. Além de código-fonte aberto, que permite que qualquer pessoa tenha acesso gratuito, a DOGE é uma moeda descentralizada, com blockchain disponível em vários computadores, porém ainda não possui uma funcionalidade propriamente dita.

10. USD Coin

A USD Coin, ou USDC, é uma stablecoin pareada com do dólar, ou seja, cada 1 USDC equivale a 1 dólar, mas em vez de usar tecnologias bancárias caras e antigas, esse dólar é digitalizado no blockchain, e que funciona no blockchain da rede Ethereum.

O consórcio CENTRE rege o desenvolvimento e criação da moeda, ele tem por trás importantes e reputadas fintechs.

Além disso, suas reservas são auditadas pela Grant Thornton LLP, garantindo que sempre haverá 1 dólar para cada token em circulação. Por isso, diversas empresas estão aceitando e negociando cada vez mais a USD Coin.

O que é uma blockchain?

A blockchain é a tecnologia que está por detrás das criptomoedas. Uma vez que as criptomoedas não são regulamentadas por bancos ou instituições financeiras, sempre que se faz um pagamento com uma criptomoeda, o pagamento é registrado num livro digital chamado de blockchain.

De forma simplificada, a blockchain é uma lista com todos os registos de transações a que se dá o nome de blocos. Estes blocos estão interligados uns aos outros e criptografados. Em cada bloco na blockchain está contido:

  • As informações do remetente, destinatário e a quantia de criptomoeda transacionada;
  • Uma impressão digital única ou hash;
  • Um hash referente ao bloco anterior da cadeia.

Sempre que um novo bloco é criado, é enviado para todos os utilizadores da rede e cada utilizador vai verificar o bloco que é depois adicionado à blockchain. Para além da tecnologia, existem também o software ou hardware que fornecem a capacidade de armazenar e fazer trading de criptomoedas, que são as carteiras de criptomoedas.

O QUE SÃO AS CRIPTOMOEDAS?

Se você já ouvir falar na palavra criptomoeda, ou moeda digital, pode ter ouvido falar também sobre a mais famosa – muito devido ao fato de ter sido a primeira criada – que é Bitcoin. Atualmente o Bitcoin não é a única moeda digital e, ao seu lado, estão fortes moedas como o Ethereum, o Binance Coin, o Tether, entre outras.

Podemos entender as criptomoedas como o início de uma nova era na compra e venda de produtos, porém, diferente de moedas já estabelecidas como o Euro ou o Dólar, por exemplo, que já possuem vários anos de uso e regulamentações próprias. As criptomoedas são moedas inteiramente digitais, e por isso, você não verá uma cédula ou mesmo uma moeda de Ethereum circulando nos shoppings e suas lojas de conveniência da sua vizinhança.

Um outro ponto que deve ser considerado em relação às criptomoedas é que elas não são emitidas pelos governos de um país e, portanto, diferentemente de outras moedas que necessitam do controle de órgãos financeiros centralizados no governo de uma nação, não estão submissas às trocas e às indas e vindas de diferentes partidos políticos e ideias relacionadas aos rumos das moedas de cada país.

As criptomoedas são, por assim dizer, moedas digitais cujas negociações são conduzidas exclusivamente entre as partes envolvidas, sem a obrigação de um terceiro para que a transação seja concluída.

 Investir em criptomoedas: O que é uma carteira de criptomoedas

As carteiras digitais são softwares, sites ou hardwares que geram chaves privadas para si. Estes códigos secretos, ou chaves privadas permitem ao utilizador gastar as suas criptmoedas e são precisamente estas chaves privadas que são importantes guardar em segurança.

Antes de começar a investir em criptomoedas recomendamos que tenha uma carteira de criptomoedas por questões de segurança e porque algumas empresas assim o exigem para que possa fazer os seus investimentos.

A carteira de criptomoedas vai permitir-lhe receber, guardar ou enviar criptomoedas, funcionando como uma interface que lhe permite interagir com a rede da criptomoeda que decidiu investir.

A maioria considera que as carteiras de criptomoedas em hardware têm mais vantagens do que as carteiras de software, isto porque:

  • As chaves de segurança não estão expostas;
  • Permite hospedar diferentes tipos de criptomoedas;
  • São imunes a vírus e malware;
  • Não necessitam de uma importação para um software.

 FATORES QUE INFLUENCIAM O PREÇO DAS CRIPTOMOEDAS

A variação nos preços das criptomoedas acontece assim como em outros tipos de ativos, mas, obviamente, que temos certas particularidades devido à natureza da sua existência. Vejamos abaixo alguns fatores que podem influenciar na cotação das criptomoedas.

1. A demanda

De forma parecida com a negociação de outros ativos, nas criptomoedas temos a variação de preços conforme a procura e a oferta de cada uma delas, ou seja, se mais pessoas procuram comprar Bitcoin, Ethereum, etc, mais o seu preço irá subir – da mesma forma se mais pessoas estiverem vendendo.

Em outras palavras, Podemos dizer que as moedas com preços mais altos sofrem influencia da sua alta procura de compra.

2. Fatores externos ao mundo digital

Ainda que as criptomoedas sejam ativos descentralizados, o cenário de cada país aliado ao cenário do mercado financeiro podem influenciar nos preços delas. Isso acontece devido ao impacto que certas regulamentações podem ter sobre o mercado de negociação, em si, das criptomoedas.

É por isso que países com um mercado mais aberto em relação às suas transações financeiras costumam ter moedas digitais mais valorizadas.

3. Processo de desenvolvimento da moeda

Um ponto importante no cenário das criptomoedas é o seu processo de desenvolvimento, isto é, o propósito por trás da criação daquela moeda.

Devemos pensar na tecnologia envolvida e, se ela possui boas fundações e pessoas competentes gerenciando o processo.

Porque devo ter a minha própria carteira de criptmoedas?

Os sites de intercâmbio são muitas vezes alvos de ataques apesar das fortes medidas de segurança, o facto de ter a sua própria carteira de criptomoedas garante-lhe uma segurança extra para os seus investimentos, já que é o único portador dos códigos secretos.

Criada a sua carteira de criptomoedas, terá na sua posse um endereço anónimo e poderá começar a investir em criptomoedas. O próximo passo é perceber como pode comprar criptmoedas.

Como posso comprar criptomoedas?

Antes de investir em criptomoedas é necessário saber como o vai fazer. Imaginemos que tem uma quantia de dinheiro que deseja investir e quer saber como pode fazer trading de criptomoedas.

Pode comprar criptomoedas através de corretoras ou casas de intercâmbio especializadas. Para isso recomendamos que siga primeiro uma lista de verificação para escolher o melhor local para o seu investimento:

  • Verifique sempre que o câmbio que pretende está disponível na sua área, já que algumas bolsas de valores não estão disponíveis em todos os países;
  • Consulte a reputação do câmbio. É sempre importante consultar as notícias para saber se o sistema foi de alguma forma atacado por hackers e se os consumidores estão satisfeitos com o serviço oferecido;
  • Qual a taxa de câmbio que é oferecida. É importante que escolha uma taxa de câmbio favorável para investir em criptomoedas;
  • Verifique as condições de segurança. Este é um passo superimportante e que nunca deve ser descurado.

Após todos estes itens estarem verificados, pode escolher onde comprar criptomoedas.

Na R1Investing, podemos ajudá-lo a investir em criptomoedas através de CFDs de trading de criptomoedas com alavancagem.

Como funciona a variação de preço

O preço das criptomoedas varia de acordo com a lei da oferta e da procura. Nas alturas em que as criptomoedas despertam maior interesse dos investidores, o volume de compras aumenta e os preços tendem a subir e vice-versa.

Por norma existe sempre um número limitado de criptomoedas em circulação e também uma limitação no número de novas criptomoedas que podem ser ciradas numa taxa previsível e crescente que faz com que a procura siga esta tendência de modo a manter o seu preço estável.

No entanto, as criptomoedas por serem ativos descentralizados e com alta volatilidade podem sofrer grandes oscilações de preço.

Investir em criptomoedas – ao que deve estar atento

Investir em criptomoedas trás consigo algumas vantagens como a possibilidade de ganhos, mas também tem riscos associados a que deve estar atento. De forma resumida, estas são os fatores a que deve estar atento:

Não são regulamentadas

Não existe nenhuma instituição económica ou governamental que regule as criptmoedas. Apesar de a maioria defender que este é um parâmetro que confere interesse na hora de investir em criptmoedas, em certas situações uma entidade reguladora pode fazer a diferença.

Podem ocorrer ataques à segurança

As blockchains são sistemas que se têm mostrado eficazes, mas a verdade é que os hackers trabalham igualmente no sentido de melhorar as suas ferramentas e existe uma probabilidade real de acontecer um ataque ao sistema das criptomoedas.

Por outro lado, já existiram ataques a carteiras de criptmoedas, daí que cada vez mais se recomende o uso de carteiras de criptomoedas offline.

Têm alta volatilidade

Investir em criptmoedas é algo aliciante à partida, mas é preciso lembrar que as criptmoedas têm alta volatilidade o que confere um risco acrescido a este tipo de investimento.

O local de compra e investimento são importantes

Investir em criptomoedas é algo que está em franco crescimento e isso traz também o aparecimento de empresas menos credíveis que oferecem estes serviços. Lembre-se sempre de analisar a empresa corretora antes de começar os seus investimentos de forma a escolher um local seguro e de confiança.

Vantagens e desvantagens de investir em criptomoedas

As criptomoedas são relativamente recentes e com uma forma de funcionamento bastante diferente do que estamos habituados, o que leva a que muitas pessoas a terem dúvidas sobre o seu funcionamento e quais serão as vantagens e desvantagens da negociação com criptomoedas.

As criptomoedas apresentam algumas vantagens relativamente às moedas físicas e outros meios de pagamento, tais como:

  • Taxas baixas – os pagamentos realizados com criptomoedas apresentam taxas baixas ou isenção destas e um tempo de processamento menor. Alguns tipos de negócio possuem serviços baseados em bitcoins em que o processamento das vendas e transferências são realizados com uma frequência diária e com custos menores do que acontece com os métodos tradicionais.
  • Liberdade – as criptomoedas permitem enviar e receber qualquer valor de forma instantânea e em qualquer lugar do mundo.
  • Segurança – os pagamentos realizados através de criptomoedas são considerados bastante seguros e podem ser realizados sem vincular informações pessoais do utilizador à transação.
  • Transparência – não é possível que alguém, ou alguma organização consiga controlar, ou manipular os protocolos das moedas digitais, uma vez que ele é criptografado.

Relativamente às desvantagens das criptomoedas, existem dois principais:

  • Alta volatilidade – as criptomoedas são ativos altamente voláteis sendo que não é raro existirem grandes ajustes nos preços que se assemelham às bolhas especulativas tradicionais. A volatilidade destes ativos permite potencialmente grandes ganhos, mas também pode permitir perdas igualmente elevadas.
  • Grau de aceitação – ainda não existe um elevado número de pessoas que conheça e esteja familiarizado com as criptomoedas o que faz com que ainda sejam poucos os estabelecimentos a aceitar este tipo de moeda.

Conclusão

Investir em criptomoedas é algo que tem crescido um pouco em todo o mundo, sendo um investimento aliciante, que pode trazer grandes oportunidades mas não está isento de riscos e os ganhos não são garantidos.

Ao escolher a R1Investing tem a certeza de que está nas mãos de um intermediário regulamentado que o vai ajudar a investir em criptomoedas com diversas vantagens:

  • Trading com alavancagem;
  • Sem comissões pelos depósitos realizados;
  • Intermediário regulamentado;
  • Negociação entre plataformas;
  • Suporte especializado de Segunda a Domingo das 7:00-17:00 GMT.

Se quer saber mais sobre este e outros assuntos consulte o nosso website R1Investing.com e comece agora a investir em criptomoedas.

FAQs

Como posso começar a investir em criptomoedas?

Para começar a investir em criptomoedas recomendamos que siga os seguintes passos:

  1. Faça um estudo sobre o mercado das criptomoedas e aprenda mais sobre o tema;
  2. Escolha a criptmoeda que pretende investir. O Bitcoin é a moeda mais popular mas não é a única onde pode investir;
  3. Faça sempre a análise dos riscos/benefícios do seu investimento;
  4. Escolha investir em criptomoedas apenas em empresas de câmbio seguras e de confiança.

Onde posso comprar criptmoedas?

As criptmoedas podem ser adquiridas em intermediários como é o caso da R1Investing onde pode contar com uma equipa dedicada para o ajudar com os seus investimentos de criptomoedas.

É necessário ter uma licença para investir em criptomoedas?

Não é necessário licença para comprar ou vender criptomoedas, no entanto, se fizer trading de grandes quantidades vai necessitar de verificar a sua identidade.

Trading de criptomoedas é legal?

Não existe nenhuma lei específica que determine que trading de criptomoedas seja ilegal.

As informações acima referidas não podem ser consideradas conselhos de investimento, sendo que os resultados passados não indicam os desempenhos futuros.

Abrir Conta